NEM TODO CUPIDO É COOL

sexta-feira, setembro 25, 2015 8 Comments A+ a-




Tem uma flecha na sua garganta e o mundo ainda custa a acreditar que cupidos não são assassinos. Mesmo que pudesse tirá-la da sua jugular, o preço foi pago por dizer ‘amor’ em voz alta, querendo par quando era tão feliz singular.

Onde foi que você enterrou o prazer da própria companhia? Espero que saiba cavar, pois é melhor encontrar esse atributo antes que o sangramento encha os copos e alguém brinde com uma aliança nos dedos que tem seu nome escrito errado. Acredite, às vezes estamos ainda mais sozinhos quando temos uma companhia que não condiz com nossas competências emocionais.

Você não precisa de um 12 de junho quando tem 365 dias de luz própria. É cedo pra morar com a insegurança e sinceramente, já viu como a vizinhança da liberdade é linda? Todos lhe dão bom dia, boa tarde e boa noite sem que você precise forçar um cumprimento. Na cama cabem você e seus sonhos esparramados, espreguiçando-se em cada nova manhã com rostos aleatórios que nunca se repetem.

É um solo e você pediu uma banda que vai tirar seus fones de ouvido. São 4 pedaços inteiros de uma pizza que você escolheu não irem pra a sua boca – ou pra geladeira no dia seguinte.
Quer a metade quando se acostumou com tudo? Quer dividir quando somar e multiplicar são seus melhores aplicativos?

Não troque asas por raízes. Logo você terá vontade de ver o mundo de cima. E nem a árvore mais alta do mundo pode chegar perto das nuvens que você aprendeu a morar.

Imagem: Pedro Vit

NÃO CONFUNDA SUPERFICIALIDADE COM SUPERIORIDADE

segunda-feira, setembro 21, 2015 0 Comments A+ a-



Quase tudo é uma emergência que muda de gravidade o tempo todo.
Nem nos curamos disso e já estamos doentes daquilo. O remédio faz efeito, mas é colateral.

As prioridades se alternaram. Profissionalizam a bipolaridade como uma ex-patologia e ficou muito mais barato deixar de bancar uma opinião.
É a faculdade da refação que bate recorde de inscrições sem precisar fazer campanha do vestibular. Por que tentar antever um erro, se temos um prazer orgasmático em consertar?

O foco em tudo desfoca em conteúdo. Muita superfície, pouca Atlântida.
A adoração ao caos parece ser uma religião popular mas certamente não irá nos salvar de uma fadiga de prolixidade.
Estamos acumulando mais solicitações de amizade do que páginas de livros. Mais perfis do que autores. Mais prazos que histórias.
E esse mais não é uma soma, é uma cruz. A sorte é que nossa preguiça nos salva dos pregos em nossos pulsos, pois estamos pregados no chão.

Não existe horizonte pra quem não sabe levar a vida na vertical. De memória em memória curta, caminhamos para um longo e desinteressante esquecimento.

O problema não é visualizar e não responder. O problema é que o que realmente vale a pena sequer é visualizado. A mensagem nem chega.

Todo mundo está offline para o que nos deixa on de verdade.

Imagem: Lemon Tree Images

ATENDA O SEU PORTÃO

terça-feira, setembro 08, 2015 1 Comments A+ a-



O que aprendemos nos dias onde chove mais dentro da gente do que lá fora? Ou ainda, quando a tempestade da janela pra fora cessa mas existe uma continuação de Twister dentro de um peito que mais apanha do que bate um coração?

Não procuro a resposta das interrogações, apenas deixo no ar como quem entra em órbita sem ter dinheiro pra mandar construir o foguete: apenas acordou de um sonho e descobriu que está mais alto que qualquer um, tocando as estrelas como se fossem instrumentos musicais celestiais.

Atrasado de gentileza, o meu boa noite chegou na hora do almoço mas é tão verdadeiro quanto uma nota de cinquenta que você confere com os dedos procurando o relevo. Seja indiferente com o lado ruim das coisas, é só o perfil que não fica bem na fotografia. É o perdão que o mundo precisa mais do que carboidrato. É o juramento que a gente faz de pés juntos e mãos separadas, de braços dados com alguém que esqueceu como os dedos se entrelaçam.

Sempre faço questão de ligar para o melhor das pessoas mesmo que elas ignorem a ligação. O pior sempre passa mas se a gente finge não estar em casa, ele vai embora.
Por isso é bom às vezes ouvir as palmas na frente do seu endereço. Nem sempre é alguém nos vendendo algo que não precisamos: Pode ser o mundo querendo te aplaudir.

Imagem: James Gehrt

A CAPITAL DOS PECADOS CAPITAIS

quinta-feira, setembro 03, 2015 0 Comments A+ a-




Os pecados devem ser muito importantes pois não se contentam com o título de simples cidades, eles precisam ser capitais de seus respectivos Estados de espírito.
A solução seria morar em outras regiões mas é impossível não desejar estar perto de todos os prazeres breves, né? Bom pra quem vive pouco, ruim pra quem será centenário.

Acostumado a pagar pelos errados, eu sobrevivo com a mesada dos certos. É pouco, menos que o bastante, não serve três refeições por dia, mas garante uma pequena fortuna de caráter embaixo do colchão.
Aprendi a economizar com as desventuras e talvez precise viver mais que todas as minhas gerações juntas para conseguir adicionar a riqueza como amiga numa dessas redes sociais da moda.

É caro viver quando se subestima o barato. Eu subestimei um planeta que se vestia de perfeito mas a etiqueta mostrava marcas adulteradas. Tentei trocar pecados arrependidos por outros de menor valor penitencial e acabei tirando demônios da cartola. E eu me pergunto:
Pra onde foram os coelhos?

Não sei. Aparentemente não existe truque que engane os pecados, independente do tamanho deles.

Até os anjos estão pagando de santo. Eu também pagaria se tivesse capital.
Mas capital, hoje, só o pecado.

Imagem: Alex Blackriver