DIFERENÇAS SÃO ETERNAS. AMORES TAMBÉM

quinta-feira, julho 24, 2014 6 Comments A+ a-



Não era um deus, mas reinava altivo pelas planícies da sua convicção. Lembro-me que as pessoas agendavam visitas para poder me enxergar por completo. Eu era um monumento como qualquer patrimônio cultural. Igual aquela igrejinha da sua cidade, com uma praça central e bancos empoeirados onde os aposentados conversam sobre o que poderiam ter sido e não foram.



Não faz muito tempo que arrastei toda essa importância histórica para seu passatempo favorito. Naquele lugar, todas sabiam ler mãos mas você adorava se vangloriar por ler pensamentos. Não acertava nada mas a minha falsa generosidade parecia admirar suas pretensões. Aquela impetuosidade escorria do seu olho e fazia as tardes durarem estações inteiras. Era como gostar do erro e aprender a saborear a naturalidade.



E assim, inventando as histórias que você fingia adivinhar, transformei meus castelos de areia em imponentes quartéis generais. Suas ilusões eram combustíveis renováveis capazes de desligar o interruptor da realidade, deixavam a existência palpável numa completa escuridão. 
Sem as luzes da rotina sobre meus ombros, me tornei presidente do clube da novidade.

De igual, só você. E era o bastante para contrabalançar o mar de diferenças.

Imagem: Ejay Mercado