A SIMPLICIDADE NÃO USA DISFARCES

terça-feira, dezembro 11, 2012 20 Comments A+ a-



Por mais que eu goste de atitudes imprevisíveis, gestos inesperados e ações que rasgam roteiros premiados, algo em minhas percepções naturais tem um encantamento inexplicável por tudo que seja espontaneamente simples.
Talvez por isso eu seja indiferente a toda e qualquer tentativa de pretensão.
Mesmo que a sua beleza seja grega e seu corpo digno de uma atleta olímpica no auge da carreira, todos os movimentos que forem previamente ensaiados serão automaticamente detectados e imediatamente enviados para um lugar na minha consciência onde a admiração não tem permissão pra entrar.

O desejo de passar uma imagem que não existe esvazia por completo o meu estoque de interesse. Por mais que o falso seja quase uma regra em nossos dias, minha teimosia em enxergar a originalidade é tão precisa que reconheceria traços de qualquer pessoa mesmo que estivesse num baile de máscaras.
Talvez nem o próprio amor seja tão exigente e o mundo o tenha acolhido como um sentimento maior do que realmente é.
Ao olhar fixamente para um relacionamento, nos deparamos com diferentes graus de envolvimento e me parece de uma arrogância descabida querer classificar o limite dessas devoções como simplesmente amor.
O apogeu pode ter outra nomenclatura. Talvez quatro letras não sejam suficientes para descrever por completo a realidade de um história entre dois seres humanos.

Isso deixa a minha desconfiança ainda mais aguçada.
Ao interpretar beijos, posso reconhecer padrões. Isso não anula a capacidade de se deixar levar por boas atrizes numa noite qualquer. Faz parte do jogo. O trunfo está em saborear o que existe de genuíno na personalidade de quem está disposto a te seduzir.
Nada é mais excitante que a verdade. Nada é mais excitante que a vontade. Nada é mais excitante do que ser fiel às suas convicções e encontrar alguém disposto a elevar suas expectativas para limites que você ainda desconhece.
É assim que ampliamos nossos parâmetros emocionais e nos tornarmos cada vez mais prontos para uma relação em potencial.

Se você não tem habilidade suficiente para descobrir a verdade de alguém, estará fadado a viver preso numa felicidade que dura menos tempo que uma pipoca no micro-ondas.

Imagem: Federico Venuda