EU, EM TERCEIRA PESSOA

segunda-feira, junho 28, 2010 23 Comments A+ a-



Ele não era complexo em demasia.
Um diamante lhe seria encantador, mas o ouro já valeria a pena.
O céu nunca foi o limite, apenas um trampolim para vôos mais arriscados.

E daí que seus olhos não sabiam ficar em silêncio?
Sempre o antecipavam. Sempre o levavam para a última página do seu livro misterioso.
E mesmo com eles fechados, seus gestos não sabiam esconder o que seu antigo órgão cardiovascular desejava.

Era um estudioso, um amante das lágrimas salgadas que o amor lhe fazia saborear sempre que respirava.
Já habitou castelos sem ser convidado, replantou rosas arrancadas, assassinou seus melhores
sentimentos para a felicidade de qualquer outro ser humano.

Parece que por mais que as datas não se repitam, ele continua andando na mesma
velocidade que os sonhos levam para nascer e morrer.
Como dizem... ‘Do berço à sepultura’.

Era estranho como seu andar não deixava marcas iminentes em qualquer terreno.
As suas pegadas sempre foram emocionais. Ninguém poderia simplesmente desejar enxergar seus passos.
Era preciso alguma sabedoria, algum valor incrivelmente peculiar que prendesse seu olhar por mais de 5 segundos.

Ele descobriu que as noites não falavam sua língua.
Ele sabia que as primeiras horas de um domingo qualquer eram a melhor maneira de experimentar o seu ápice.

Das mãos que segurou, nunca duvidou da verdade.

Preferia a chuva.
Afinal, o sol queima as vampiras, e ele poderia amá-las um dia desses.

Sempre enxergava detalhes ocultos e os guardava para si.
Derrubava dos bolsos elogios intermináveis que as vezes o envergonhavam.
Sinceros demais?
Precisos demais?

Não. Apenas adequados e milimetricamente escolhidos.

Nem sempre nas horas corretas. Era comum unir o encanto com o desastre.
Ele sabia que a capa lhe dava o ar de herói, mas tinha plena convicção de que precisava ser salvo.
De si mesmo, das falsas histórias, dos lençóis com perfume demais.

A vida toda, tinha a própria imagem de companheira ideal.
Ou pelo menos, gostava de pensar assim.

Era tudo doce e lento demais. Talvez isso não fizesse seu coração entrar em forma.
Nunca estaria pronto para uma verdadeira tempestade, quando acontecesse.
Ele gostava de olhar a cor da vodka nos copos baratos.
Lhe interessava.
Mais do que qualquer outra coisa.

Nenhuma silhueta feminina o fazia desviar, nem ao menos parar seu raciocínio.

‘Quantas histórias dentro de uma mesma música’, ele pensava.
E guardou sua gaveta de amores exterminados.
Ele não sabia como escondê-la de si mesmo.
Talvez por medo de não saber rir de como era idiota.
Medo de não saber mais interpretar os papéis que lhe eram indicados pela vida.

Ninguém parou pra pensar que nas nossas vidas a maioria dos dias são rigorosamente iguais e
sem surpresas maiores que festas surpresas?

Não. Ninguém. E nem ele.

Ele sabia que o amor não passava de um tapete mágico que sobrevoava as misérias humanas.

Redator publicitário, baterista, compositor e escritor - flertando perigosamente com o roteiro. Reflete sobre cultura, pedaços de mainstream e as maravilhas ocultas em pequenas situações do cotidiano.

23 comentários

Write comentários
28 de junho de 2010 10:20 delete

'Já habitou castelos sem ser convidado, replantou rosas arrancadas, assassinou seus melhores
sentimentos para a felicidade de qualquer outro ser humano.'


:O

Reply
avatar
Julia Melo
AUTHOR
28 de junho de 2010 10:51 delete

Você é profundo, :) cara, você tem talento.

Reply
avatar
Flávia
AUTHOR
28 de junho de 2010 14:18 delete

Uaau...
Como escreve beem! =)

Adorei esse texto e os demais do seu blog... Por essa razão, tô seguindo!

Beeijos! :)

Reply
avatar
Betty Gaeta
AUTHOR
28 de junho de 2010 14:24 delete

Oi Bruno,
Obrigada pela visita. Gostei do texto.
Bjkas e uma ótima segunda-feira para vc.

Reply
avatar
Grafite
AUTHOR
28 de junho de 2010 15:42 delete

"O céu nunca foi o limite, apenas um trampolim para vôos mais arriscados".

...trecho Perfeito!

beiijo,
*.*

Reply
avatar
imPerfeitinha
AUTHOR
28 de junho de 2010 21:49 delete

olá
nossa lindo texto!!!
parabens
seu blog é demais estou te seguindo e passa la no meu estou começando agora bjosss

Reply
avatar
Camila Paier
AUTHOR
28 de junho de 2010 21:59 delete

Como comentaste na vez em que despi todas minhas manias e aberrações comportamentais, replico: só falta ouvir tua voz! HAHAHA

Reply
avatar
Camila
AUTHOR
28 de junho de 2010 22:16 delete

Concordo totalmente com a Julia: tua forma de escrever é mesmo muito, muito, mas muito profunda! Adorei!

Reply
avatar
28 de junho de 2010 22:57 delete

"Um diamante lhe seria encantador, mas o ouro já valeria a pena."


Ele era um cara incrivel...


;**

Reply
avatar
Carolyne Mota
AUTHOR
29 de junho de 2010 13:54 delete

"Ele sabia que o amor não passava de um tapete mágico que sobrevoava as misérias humanas"


Concordo plenamente.
Amei o texto, me encanto com a profundidade das suas palavras.

Reply
avatar
Lua S.
AUTHOR
29 de junho de 2010 14:38 delete

Oii Bruno.

Nossa eu imagei um cara aqui sentando de frente para a sociedade, ele ali vendo e reparando em tudo e a vida doendo nele, a visa acontecendo dentro dele profundamente.

Amei. beijo e boa semana!

Reply
avatar
29 de junho de 2010 18:24 delete

Tudo me encantou nesse texto,
sua maneira de escrever(oque sempre me encanta) e a personalidade que descreve(a sua).
Parabéns por SER assim e ESCREVER assim!
=]]
bej

Reply
avatar
30 de junho de 2010 01:10 delete

E ele apenas tenta se expor em palavras... cara, eu nunca consigo me descrever, mas vc colocou tantos detalhes, falou da tanta coisa, muito bom msm...

Abraços =)

Reply
avatar
30 de junho de 2010 12:18 delete

"Parabéns por SER assim e ESCREVER assim!" vou discordar da minha amiga sara, se ela deixar.
não quero te parabenizar, quero agradecer. as vezes ver um homem falar isso é tudo o que um menina precisa. brunno, eu nunca me arrependo de ler as coisas grandes que você esreve. na verdade, desejo que as linhas aumentem ao final de cada frase. sua sensibilidade é de assustar.

eu espero um dia conseguir escrever um texto como esse. eu amei.

Reply
avatar
Pasárgada
AUTHOR
30 de junho de 2010 13:09 delete

um pouco de sonho e realidade seu texto, não?

seus textos têm sempre uma palavra qualquer que toca fundo e escava um tipo inesperado de sentimento. Isso é tão bom, sinto-me bem vindo por aqui!

Beijo e parabéns! :)
Ingrid Brasilino

Reply
avatar
Thais Luquez
AUTHOR
30 de junho de 2010 17:11 delete

Sentimento e profundidade, tem mistura melhor do que essa? Meus olhos também me entregam antes e sei exatamente como é. Gostei do blog, obrigada pelos elogios e por comentar no meu, para que eu pudesse conhecer o seu também.

Estou te seguindo.. um beijo!

Reply
avatar
LSR
AUTHOR
1 de julho de 2010 21:28 delete

Muito bom o texto!
Gosto do fato de estar em terceira pessoa, a maioria dos meus textos são assim.
Gostei do blog, vou seguir! ;)
Beijos!

Reply
avatar
2 de julho de 2010 02:51 delete

"Ele sabia que o amor não passava de um tapete mágico que sobrevoava as misérias humanas."

Cada vez me apaixono mais pelos seus posts.
Vc é incrivel.
O amor te cega e esconde todos os males. E ai é a questão. Será que o amor é a solução para os problemas? rsrsrs

Parabéns MESMO =)
E Obrigada pelo carinho e a visita de sempre ;)

Reply
avatar
Lís
AUTHOR
2 de julho de 2010 14:40 delete

Quase pude ouvir o som da sua voz em cada palavra...quase te reconheci em todas as letras desarranjadas, em todas as constatações...
Eu sempre amo vc.

Reply
avatar
dianaBruna
AUTHOR
18 de julho de 2010 00:40 delete

Tinha esquecido completamente de vir responder seu comentário... E admito que me encantei com o seu teatro. Tem sido raro para mim achar homens que apreciem a arte dos blogs como eu o faço.
Um abraço!
dianaBruna
http://omelhordavidaeissoeocio.blogspot.com/
http://sheselectrics.blogspot.com/

Reply
avatar
11 de outubro de 2013 22:54 delete

Oi . Gracias pela sua visita também ! Sobre seu comntário , bom , talvez a ''GRANDE MERDA" nas relações seja isso né >> tentar definir o amor , mas de que adiantaria pensar se não fosse pra presumir até se descobrir a verdade sobre algo ? Suposições , é disso que os humanos vivem (e assim convivem um com os outros) afinal ninguém se conhece tão bem ... o que me leva a esse seu post ' ... vc parece um fleumático-melancólico , mas apenas parece .As pessoas , o amor , tudo é mais do que vemos.

Reply
avatar
11 de outubro de 2013 22:54 delete

Oi . Gracias pela sua visita também ! Sobre seu comntário , bom , talvez a ''GRANDE MERDA" nas relações seja isso né >> tentar definir o amor , mas de que adiantaria pensar se não fosse pra presumir até se descobrir a verdade sobre algo ? Suposições , é disso que os humanos vivem (e assim convivem um com os outros) afinal ninguém se conhece tão bem ... o que me leva a esse seu post ' ... vc parece um fleumático-melancólico , mas apenas parece .As pessoas , o amor , tudo é mais do que vemos.

Reply
avatar
Marilia Lago
AUTHOR
16 de janeiro de 2014 20:17 delete

Você é um escritor sensacional. Um gênio perpicaz, culto, fantástico... Me fez viajar. Parabéns!!

Reply
avatar

Divague, opine, discuta. Coloque sua inspiração no 220v. Toda essa transpiração criativa é o combustível da minha respiração.